top of page

A AAUL reuniu com o Administrador dos Serviços de Ação Social da Universidade de Lisboa



Ao terceiro dia do mês de julho de dois mil e vinte e quatro a Associação Académica da Universidade de Lisboa reuniu com administrador dos Serviços de Ação Social da Universidade de Lisboa (SASUL) no edifício da Cantina Velha.


Em representação da AAUL esteve presente Diogo Ferreira Leite, Gonçalo Castro, Maria Alegria e Simão Passagem. A reunião teve como objetivo compreender a atual situação em que se encontram os SASUL e que mudanças estão previstas para o próximo ano.


Na temática do alojamento estudantil, os SASUL estão a desenvolver o trabalho para disponibilizar mais camas, mas também o investimento num maior conforto dos estudantes. A perspetiva é que com a Residência Manuel da Maia e com a conclusão da 2ºfase das obras na Residência do Campos da Ajuda no próximo ano letivo (2024/25) fiquem disponíveis sensivelmente mais 200 camas que este ano (2023/24), contudo não está garantido que estas camas estejam todas disponíveis em setembro uma vez que a Residência da Ajuda apenas se deve tornar operacional a partir de outubro. Atualmente existem 1.511 camas, mais 34% que o ano passado.


Em julho de 2023 estavam disponíveis 1.128 camas A maioria dos estudantes nas residências dos SASUL são bolseiros (70% - 80%) havendo também estudantes internacionais inseridos em protocolos europeus. Este ano mesmo com o aumento do número de camas espera-se ocupação total de todas as residências dos SASUL. Neste momento, para estudante bolseiro o preço é de 84,08 €, devendo ser atualizado, nos termos da Lei, para 89,12 € mensais a partir de 1 de outubro (17,5% x IASnº1, art.º 19º do RABEEES). Os restantes preços deverão também ser atualizados.


Na temática do preço da refeição social nas cantinas da universidade, os SAS justificam o aumento do preço da mesma no último ano letivo e alertam para um aumento de 0,20€ no próximo, passando a refeição a ser cobrada por 3,20€. Segundo os SAS, o concurso de géneros alimentares teve um aumento de 400.000€ no último ano (entre maio de 2023 e abril de 2024). Assim o preço da refeição social prende-se por uma escolha entre qualidade e preço, e a gestão considera que faz mais sentido aumentar o preço que diminuir a qualidade da refeição.


As despesas dos SASUL com os investimentos no alojamento estudantil e o aumento dos bens alimentares dificultam a manutenção dos preços, umas vez que os serviços não têm um orçamento específico.

4 visualizações0 comentário

Comentários


bottom of page