História

 

 

A Associação Académica da Universidade de Lisboa (AAUL) é fundada no dia 8 de Março de 2007 na Assembleia Fundadora que teve lugar na Reitoria da Universidade de Lisboa. A nova estrutura de representação dos estudantes da Universidade de Lisboa vê a sua origem associada à necessidade de união de todos os estudantes da Universidade e respetivas associações: necessidade que vai estar presente ao longo da evolução do associativismo académico e do movimento estudantil.

Remetemos para 1962, aquando da Crise Académica. Num dos momentos mais marcantes da história do associativismo académico vamos encontrar uma figura embrionária da AAUL: Reuniões Inter Associações (RIA). Esta mesma figura, num clima disperso e atribulado, vai evidenciar a necessidade de convergência dos esforços e da luta de todos os estudantes e respetivas associações em prol da defesa dos seus direitos, algo indispensável nos tempos em que o movimento estudantil se deparava com grandes desafios. A RIA vai assumir uma extrema importância na Crise Académica de março de 1962, sendo que na figura dos seus dirigentes vai ser responsável pelas negociações entre as ditas associações, os reitores, os diretores das respetivas escolas e os professores.
 
Outras formas de representação universal de todos os estudantes da Universidade de Lisboa vieram a evidenciar-se ao longo dos sucessivos anos. Porém, sem sucesso na criação de uma estrutura sólida, a RIA vai, com mais ou menos protagonismo, assumir o papel de convergência das vontades dos estudantes na nossa Academia.
 
Já nos anos 90, num clima de despolitização das Associações Académicas e estudantis, a representação dos estudantes de toda a Universidade, no seu todo, continuava ineficaz e insuficiente.
 
A luta pela liberdade de associação e pelo associativismo universitário vai marcar gerações de estudantes que, com o objetivo de assegurar a defesa dos seus desígnios, evidenciaram a importância de estruturas representativas sólidas e coesas capazes de combater a fragmentação da nossa classe.
 
O início do novo século vem trazer consigo novos desafios e profundas mudanças para o ensino superior português, nomeadamente através do Processo de Bolonha que vem revolucionar por completo todo o sistema Universitário. A dificuldade de adaptação das demais escolas e a desestabilização no meio associativo vêm evidenciar a necessidade de uma estrutura capaz de convergir as vozes da maior academia do país.
 
Além do processo de Bolonha vamos assistir à feitura e publicação do novo Regime Jurídico das Instituições do Ensino Superior (RJIES). Este novo diploma vem transformar o panorama do Ensino Superior em Portugal e vai receber grande resistência por parte da classe estudantil e da comunidade académica num claro manifesto contra o ataque à autonomia das demais instituições patente no RJIES.
 
Na sequência de todo este descontentamento e da realidade instável e fragmentada na nossa academia, as Associações de Estudantes da Universidade de Lisboa vão finalmente materializar o desejo de toda uma academia ao longo da sua história: a criação de uma estrutura representativa de todos os estudantes capaz de responder às suas necessidades e zelar pelos seus direitos e interesses de uma forma mais sólida e coesa.
 

 

reitoria1.jpg

 

 

Nasce, assim, após um longo processo de negociação e preparação, a Associação Académica da Universidade de Lisboa, enquanto estrutura representativa de todos os estudantes da Universidade de Lisboa.
 
Ao longo dos seus anos de atividade vai assumir um papel central em diversos momentos da história da Universidade no século XXI com principal destaque na Fusão das 2 grandes Universidades: a Universidade de Lisboa e a Universidade Técnica de Lisboa. A AAUL , junto dos dirigentes das Universidades e demais escolas vai exercer uma importante atividade conciliadora dos estudantes e das suas vontades durante todo o processo de Fusão. Desta forma e após consumada a Fusão a AAUL vem sair fortalecida de todo este processo: o voto de confiança por parte dos estudantes da ULisboa, através de um referendo à sua estrutura, vem permitir a continuação legitimada da AAUL na prossecução dos interesses da comunidade estudantil da Universidade.
 
Hoje, com a sede na Cidade Universitária, a AAUL representa todos os estudantes da Universidade de Lisboa e é independente do Estado, de partidos políticos, de organizações religiosas, filosóficas, sindicais ou outras.
 
Além de defender os interesses dos estudantes da nossa Universidade, a AAUL vem promover a realização de atividades culturais, recreativas, educativas e sociais para fomentar o convívio entre alunos; incentivar o associativismo estudantil, enquanto expressão da responsabilização e intervenção dos estudantes na sociedade; encetar e manter laços de cooperação com todos os organismos estudantis, tanto a nível nacional como internacional, cujos princípios e atribuições sejam conformes com os da AAUL; e participar na definição da política educativa em todos os domínios, e em termos legislativos, em todas as matérias respeitantes do ensino superior.
 
A Associação Académica da Universidade de Lisboa constitui a convergência de vontades de todos os estudantes da nossa Universidade e representa o esforço histórico de toda uma academia na figura das gerações que a compõem. A AAUL está presente para responder aos problemas e necessidades da comunidade e zelar, de forma coesa e universal, pelos direitos e interesses legítimos de todo e qualquer estudante desta nossa grande​ alma mater​: a ULisboa.

  • instagram
  • facebook
  • twitter_edited
  • likedin_edited
  • youtube_edited