André Machado

Mandato 2013-2014

Nascido em 1990 e Presidente da Direcção-Geral da AAUL em 2013-2014 no primeiro ano de existência da Universidade de Lisboa, depois da fusão das antigas Universidades de Lisboa e Técnica de Lisboa. Entre 2012 e 2013 havia presidido à Direção da Associação Académica da Faculdade de Direito de Lisboa (AAFDL). No plano da Universidade, a prioridade foi a concretização da fusão e a instalação da infraestrutura da nova Universidade, a maior do país. No plano da política educativa, a intervenção mais significativa foi no âmbito do financiamento das instituições de ensino superior, da ação social e da reforma da rede de ensino superior em Portugal.

O seu destaque na área das Relações Internacionais e Direito Europeu refletiu-se ao encarregar-se da Direção das Relações Internacionais da Associação Académica da Universidade de Lisboa (2010/2011) - sua primeira função na AAUL - e, também nesse mesmo ano, da Vice-Presidência da European Law Student Association - Núcleo da Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa (ELSA-FDL), depois de ter assumido o Gabinete de Avaliação e Relações Internacionais da AAFDL.

Mais tarde, na presidência da AAUL, assumia a internacionalização da Universidade como uma prioridade estratégica para o futuro da instituição.

André Machado assume funções como Presidente da Associação Académica da Universidade de Lisboa de julho de 2013 a outubro de 2014.

A sua presidência ficou marcada por um discurso urgente a fim de se tomarem medidas efetivas contra os desafios e dificuldades que a comunidade estudantil da Universidade de Lisboa enfrentara. Novamente, a Política Educativa e de Ação Social revelaram-se principais focos deste mandato, tendo em conta a realidade descrita nas palavras do Presidente André Machado: de um “Estado que desinveste no seu futuro, com sucessivos cortes no Ensino Superior.”

À semelhança dos anos anteriores, a constante matéria do Regulamento de Atribuição de Bolsas permanece um dos grandes problemas dos estudantes da Universidade que se defrontavam com a escassez de meios para fazer face às dificuldades económicas. O abandono constante do Ensino Superior, pela falta de financiamento e de investimento contínuos ao longo dos anos assume-se como uma realidade gritante.

Desta forma o Presidente André Machado e a sua equipa pedem coragem para que haja um diálogo efetivo sobre a falta de meios, inclusivamente no que diz respeito ao alojamento na Universidade de Lisboa: este mandato destacou-se pelo reivindicação do aumento significativo de apoio e oferta de alojamento à comunidade estudantil.

Assistimos a um forte incentivo e promoção do debate estudantil com a organização de vários eventos realizados com o objetivo de aproximar a comunidade académica da ULisboa. Neste sentido é organizado o fórum “Este País é para Jovens” que constitui um importante momento de reflexão e discussão sobre a realidade dos jovens portugueses pretendendo contribuir para a construção de uma nova visão estratégica para o futuro do país e das suas novas gerações.

Vamos também assistir à organização dos IV Estados Gerais da AAUL que com a presença de figuras ilustres da comunidade académica da Universidade e da sociedade portuguesa vão assumir-se, à semelhança das anteriores edições, como determinantes na reflexão estratégica da comunidade promovida pelo debate generalizado e aberto a toda à comunidade académica da Universidade de Lisboa. Os IV Estados Gerais vão também ficar marcados pela primeira atribuição da categoria de Associado Honorário ao Professor Doutor António Sampaio da Nóvoa pela sua determinante e notável ação, próxima dos estudantes e da comunidade académica, enquanto docente e Reitor da Universidade de Lisboa.

A Direção Machado adotou estratégias de desenvolvimento de institucionalização regional e estratégias de internacionalização de forma a alargar os mapas de rede de instituições do Ensino Superior, dentro e fora de Portugal.

Definiu-se, durante o presente mandato, como prioritário o debate sobre as reformas do regime jurídico das instituições do Ensino Superior, que se considerava caduco pela escassa autonomia e participação dos estudantes e funcionários na gestão da Universidade e das várias Escolas.

Por fim, o projeto “Universidade Verde” continuou a ser alvo de atenção neste mandato com a organização do evento “AmbientALL”, como comemoração do Dia do Ambiente, tendo como objectivo sensibilizar a comunidade académica e a sociedade civil para as questões relacionadas com o ambiente.

As relações institucionais com as demais Associações de Estudantes e com as demais entidades foram fortalecidas, num claro objetivo de continuidade de boas e saudáveis relações com os demais parceiros. Diversos projetos, iniciativas e eventos demonstram esta vitalidade nas relações institucionais da AAUL ao longo do mandato. Durante este mandato, a AAUL aumenta o número de associações académicas e de estudantes membros, com a integração da Associação de Estudantes da Faculdade de Medicina Veterinária (AEFMV) e a Associação de Estudantes do Instituto Superior de Ciências Sociais e Políticas (AEISCSP). Com a fusão das antigas Universidades, a AAUL torna-se a Associação Académica representativa dos 50 mil estudantes da Universidade de Lisboa, depois de uma revisão estatutária votada por referendo organizado ao mesmo tempo que as eleições para os órgãos sociais 2014-2015.

© AAUL 2021 - Unidade Operacional de Gestão da Inovação e Transição Digital

  • instagram
  • facebook
  • twitter_edited
  • likedin_edited
  • youtube_edited