DIREÇÃO-GERAL DA AAUL CRIA COMISSÃO APÓS APROVAÇÃO EM RGA DA AAFDL

O Presidente da Direção-Geral da Associação Académica da Universidade de Lisboa, cria comissão para avaliar a introdução do sistema de videovigilância após deliberação por maioria da Reunião Geral de Alunos da Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa.

Fundação do Estudo Geral em 1290, painel nos Passos Perdidos da Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa

A DG/AAUL criou uma comissão de avaliação do sistema de videovigilância para a Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa, após a aprovação por maioria dos estudantes desta Unidade Orgânica da Universidade de Lisboa, de moção subscrita por um conjunto de estudantes que defendia esse objetivo.


No despacho de criação outorgado pelo presidente da Direção-Geral da AAUL, o mesmo defende que as introdução das câmaras nos edifícios da Faculdade predem-se com a necessidade de assegurar a segurança em todo o edificado, em especial destaque para as zonas da Biblioteca e a Sala de Estudo, onde segundo o despacho tem se registado a maior parte dos furtos.


“Em sede de Reunião Geral de Alunos da Associação Académica da Faculdade de Direito de Lisboa e da Assembleia Magna da Associação Académica da Universidade de Lisboa, os estudantes questionaram a falta de diálogo e transparência por parte dos órgãos de autogoverno da Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa, no que concerne à gestão partilhada dos espaços da faculdade que vinha a ser seguido pela sucessivas Direções da Unidade Orgânica, pelo que no espírito de abertura entendi, após aprovação em sede de RGA e da Assembleia Magna criar uma comissão que avaliará de forma independente aquilo que já foi feito e em estreita articulação com as Direções da FDUL, da AAUL e da AAFDL”, rematou o presidente da AAUL.

Corredor de ligação entre o Edifício 1 e 2 da Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa

A comissão em causa é constituída por “figuras com trabalho reconhecido nesta área”, nomeadamente Pedro Herdeiro (coordenador), Beatriz Carvalho e João Gonçalves estudantes da Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa, e ainda Francisco Rocha, estudante do Instituto Superior Técnico da Universidade de Lisboa e Kevin Gallagher, docente e investigador na Universidade de Nova Iorque.


No documento, a comissão terá 90 dias para apresentar as conclusões dos trabalhos, que serão depois apresentados às entidades visadas no despacho.

163 visualizações