AAUL envia Relatório-Análise sobre os painéis fotovoltaicos existentes no edificado da ULisboa

AAUL enviou aos órgãos universitários de cada escola e à Reitoria um relatório perfunctório com o fim de promover um estudo mais profundo sobre a temática dos painéis fotovoltaicos na Universidade.

AAUL enviou a cada Escola e ao Reitor da Universidade de Lisboa, António Cruz Serra um Relatório-Análise sobre os painéis fotovoltaicos existentes nos diversos edifícios que estão sob a tutela da Universidade de Lisboa, que é a detentora de 3% da totalidade do edificado da cidade de Lisboa.


“Em tempos cada vez mais orientados para a sustentabilidade ambiental e para as preocupações com os problemas do meio ambiente”, afirma o vogal da Ação Climática e Desenvolvimento Sustentável da AAUL, Ricardo Mendes, “é imperativo que a Universidade de Lisboa seja pioneira nos avanços tecnológicos de energias mais benéficas para o nosso ecossistema, tendo em mente os objetivos ambientais da União Europeia, influenciados pelo Acordo de Paris de 2015.”


“Com este relatório a AAUL pretende demonstrar o seu interesse em ver a Universidade de Lisboa, juntamente com os seus docentes, funcionários e estudantes, a trabalhar em conjunto para se continuar a avançar rumo a uma Universidade mais Verde”, termina o dirigente estudantil.


Neste relatório enviado são analisados os espaços e edificados das 18 escolas da Universidade de Lisboa, bem como outro edificado relevante da Universidade de Lisboa como a Reitoria e Aula Magna, Cantina Velha, Estádio Universitário, Jardim Botânico de Lisboa, Jardim Botânico da Ajuda, Refeitório do Pólo da Ajuda, Centro Desportivo da Ajuda, Observatório Astronómico de Lisboa, e o Centro Académico do Caleidoscópio.


É referido também no documento que para verificar a existência de painéis fotovoltaicos nas escolas da Universidade de Lisboa recorreram-se a imagens de satélite registadas no Google Earth, e que após verificação da sua existência, passou se à sua contabilização usando imagens satélite do Google Maps, bem como a ferramenta “Measure” da aplicação “Arcmap” da ESRI.


No fim do Relatório conclui-se que “a Universidade de Lisboa, para os edifícios referidos neste relatório, dispõe de uma área de telhado no valor de 267,9 mil m² onde estão implementados 4275 painéis solares.


Estima-se que estes 267,9 mil m² poderão conter um total de 28087 painéis fotovoltaicos, ou seja, mais 23812 painéis fotovoltaicos do que os contabilizados como já existentes. A taxa total de ocupação da superfície do telhado destes edifícios com painéis fotovoltaicos estima-se num valor relativo de 15,22%.”


Com esta iniciativa, espera a AAUL poder continuar a trabalhar juntamente com a Reitoria e as escolas da Universidade de Lisboa no sentido de a tornar mais sustentável no futuro e ver o surgimento de uma Universidade cada vez mais verde.

57 visualizações